fbpx

Saiba o que é plano de carreira e como montar o seu!

O plano de carreira é um documento que define os caminhos a seguir para conseguir atingir os objetivos profissionais.

Se você apenas trabalha, mas ignora a necessidade de um plano de carreira, saiba que seu caminho pode melhorar. Basicamente, esse é um documento que determina o que você precisa fazer para atingir seus objetivos. Por isso, ele vem sendo cada vez mais adotado nas empresas.

Mais do que isso, conhecer esse instrumento é uma forma de saber o que você espera da sua jornada no trabalho. Ou seja, quais são seus objetivos profissionais, o que pretende conseguir na empresa para se sentir feliz enquanto colaborador.

Assim, você também consegue se programar para fazer uma faculdade depois dos 30, especializar-se em alguma área ou tentar uma mudança de carreira. Entendeu por que esse plano é importante?

Ainda tem mais. Neste post, explicaremos melhor o que esse documento representa e trazer dicas para você montar o seu. Continue lendo e confira!

O que é plano de carreira?

O plano de carreira é um planejamento que define todos os passos a serem seguidos pelo profissional para que ele alcance determinado objetivo. Por exemplo, uma promoção na empresa. Por isso, esse documento costuma ser utilizado no ambiente corporativo para indicar os caminhos a seguir.

Devido à sua utilidade, muitas empresas já têm os seus documentos preestabelecidos. No entanto, é importante conhecer o plano de carreira por dois motivos: 

  • saber o que precisa fazer para conseguir um cargo melhor na companhia;
  • traçar um documento individual, que possa ser usado em uma transição de carreira e na definição dos caminhos que serão seguidos.

Portanto, é preciso pensar além e saber que esse documento permite planejar o seu próprio futuro. De toda forma, quando usado pela empresa, ele traz todas as posições hierárquicas consideradas naquela organização e quais são as competências esperadas para atingi-las.

Por exemplo, para ser analista de marketing júnior, a empresa pode definir que é preciso ter um tecnólogo em marketing. Já para ser pleno, precisa ter essa formação e mais 2 anos de experiência no cargo.

Assim, você sabe exatamente o que precisa fazer para chegar ao patamar esperado, inclusive como gerente ou diretor. Além desses aspectos, também é importante que o plano da empresa contemple: 

  • projeções de aumento salarial;
  • possíveis melhorias relacionadas a benefícios;
  • possíveis bolsas para incentivar a realização de cursos.

Assim, a empresa que trabalha com esse documento mostra que está preparada para apoiar seus colaboradores para que eles progridam dentro da própria companhia. De toda forma, utilizar esse planejamento é fundamental para você saber o que pretende conquistar na sua vida profissional e o que fazer para chegar lá.

Quais são os principais tipos de planos de carreira?

Os principais tipos de planos de carreira são:

Em linha

É o modelo que segue uma linha reta. Por isso, você define o caminho a seguir e não tem muitas opções, já que fica preestabelecido o que precisa ser feito. Em uma empresa, isso significa que é possível crescer apenas em uma direção.

Normalmente, o plano de carreira em linha é utilizado por companhias com estrutura rígida. Assim, a hierarquia de cargos e salários fica bem estipulada e é predeterminada.

Além disso, o mais comum é que as promoções sejam derivadas do tempo de serviço. Portanto, nesses casos, é normal que o mérito seja colocado em segundo plano.

A principal vantagem desse modelo é sua previsibilidade. Isso permite que você faça um bom planejamento financeiro, considerando a evolução profissional.

Outro ponto positivo é que a ocupação de novas posições e funções significa aumento salarial — isso nem sempre ocorre em empresas que adotam outros tipos de plano de carreira. Por outro lado, exige mais paciência, já que você só terá essas melhorias com o tempo.

Em Y

É um modelo profissional em que você decide se vai trabalhar como especialista ou gestor. No primeiro caso, tem uma função mais “solo”. No segundo, assume uma posição de gerenciamento.

Essa é uma boa opção para qualquer profissional. Isso porque é possível escolher qual caminho seguir e ainda ter uma recompensa financeira. Portanto, há benefícios mesmo que você prefira não liderar uma equipe.

Para entender melhor, imagine que dois profissionais começaram juntos na empresa. Ambos tinham como cargos para evolução: 

  • estágio;
  • analista júnior;
  • analista pleno;
  • analista sênior.

No entanto, um dos colaboradores prefere ser gestor. Enquanto isso, o outro opta por ser especialista. Ao decidirem o que pretendem fazer, cada um terá uma linha evolutiva diferente.

Aquele que pretende ser gestor pode ocupar posições como coordenador, supervisor, gerente, diretor e até presidente. Por sua vez, o que prefere ser especialista poderá ser especialista sênior, pesquisador, conselheiro e expert.

Ambos terão progressão salarial, de maneiras diferentes, é claro. No entanto, conseguirão alinhar os benefícios financeiros aos objetivos profissionais. Essa é a principal vantagem do plano de carreira em Y.

Em W

Esse último modelo prevê que o profissional pode seguir tanto o caminho técnico quanto o gerencial. Ele funciona, basicamente, da mesma maneira que o modelo em Y, mas tem uma terceira via. Por isso, permite melhorar as habilidades de liderança e de conhecimento.

Na prática, a pessoa que opta por essa outra possibilidade pode manter as funções de especialista ao mesmo tempo que gerencia uma equipe. Portanto, exige competências mais complexas, que abranjam tanto a parte técnica quanto social.

Para a empresa, o plano de carreira em W exige mais mobilidade interna. Isso porque o profissional precisa ter possibilidade de remanejamento para outras áreas sem perder a posição atual.

Assim, é preciso modificar requisitos, atribuições e critérios de seleção dos profissionais. Da mesma forma, a estrutura de cargos também deve ser alterada. Por fim, é importante que a empresa ofereça oportunidades de qualificação em várias áreas.

Como montar seu plano de carreira?

Como vimos, esse documento é utilizado pelas empresas, mas também pode — e deve — ser utilizado por você para nortear as suas decisões. Isso ajuda a ter uma carreira mais bem estruturada, que corresponde com o que foi imaginado.

Ou seja, você tem um direcionamento, que ajudará tanto no presente quanto no futuro. Por isso, para montar seu plano de carreira individual, é preciso pensar nos seus objetivos profissionais. Além disso, é importante seguir outras dicas. Veja quais são elas.

Liste suas competências

Comece verificando quais competências técnicas e sociais (soft skills e hard skills) você tem. Essa é uma forma de aliar conhecimento teórico e prático a partir da identificação do que já sabe e daquilo que precisa conquistar.

Por isso, comece respondendo algumas perguntas, que contribuem para o seu autoconhecimento. Por exemplo: 

  • o que faz você se sentir vivo;
  • quais valores são respeitados;
  • qual é o seu propósito de vida além do trabalho.

Com essas informações, você pode começar a listar suas competências técnicas e sociais. As primeiras estão relacionadas ao lado intelectual. Portanto, são obtidas por meio de palestras, cursos, rotina de estudo e formação acadêmica.

Por sua vez, as competências sociais se referem ao seu comportamento diante das situações, tanto dentro quanto fora do ambiente de trabalho. Alguns exemplos são: 

  • inteligência emocional;
  • autoconfiança;
  • flexibilidade;
  • resiliência;
  • proatividade;
  • capacidade de trabalhar em equipe;
  • espírito de liderança.

Perceba que esse processo de autoconhecimento é fundamental para começar o seu planejamento profissional. Isso ajuda a determinar se você investirá em uma das profissões do futuro ou se vai optar por uma carreira mais tradicional, por exemplo.

Mais importante do que isso, esse é o momento de começar a definir onde você deseja chegar. O recomendado é ter entre uma e duas ideias principais. Ou seja, um plano principal e uma segunda alternativa. Assim, ficará mais fácil ajustar seu caminho, conforme a necessidade.

Entenda o mercado de trabalho

Com o autoconhecimento, você identifica quais são as melhores áreas e profissões para você. Assim, verifique como é o mercado de trabalho, o que é exigido, se há muita competitividade e qual formação superior é necessária.

Desta forma, você pode definir, por exemplo, que uma faculdade de 2 anos é a melhor opção. Afinal, o tecnólogo tem a mesma qualificação da graduação de 4 anos, mas é mais voltado para o mercado de trabalho, tendendo a trazer boas oportunidades.

Ao mesmo tempo, avalie se as funções estão condizentes com as profissões do futuro ou se devem mudar de forma parcial ou total. Ainda considere: 

  • surgimento de novos cargos na área;
  • oportunidades e riscos do setor, do cargo e da função que pretende ocupar;
  • competências necessárias;
  • requisitos exigidos pela área.

Com esses detalhes, defina um caminho lógico a seguir. Esse é um processo bastante individual que varia conforme a carreira seguida. Inclusive, tem relação com as suas competências técnicas e sociais, e daquilo que precisa conquistar.

Defina uma meta

Um dos principais objetivos desse plano é definir uma meta para sua carreira. Você pode delimitar que deseja alcançar o cargo X para ganhar mais. Ou optar por assumir uma função de especialista, a fim de ter mais satisfação no trabalho.

Tenha em mente que não existe decisão certa ou errada. Tudo depende da sua preferência. Por isso, verifique se você prioriza a remuneração, o status na sociedade, o reconhecimento dos pares ou a satisfação pessoal e a qualidade de vida.

Com o tempo, é possível que você mude de opinião. Nesse caso, está na hora de reavaliar o seu planejamento para fazer os ajustes necessários.

Além disso, coloque prazos para as suas metas. Esse detalhe é fundamental para que você dê os passos adiante necessários e ainda consiga fazer ajustes, caso não esteja alcançando o que pretende.

Apenas tome o cuidado de ser realista. Isso evita frustrações por não atingir seu objetivo com tanta rapidez. Caso você determine um prazo mais longo e alcance o que busca em menos tempo, melhor. É mais um ânimo para seguir em frente.

Defina um plano de ação

O plano de ação deve estar alinhado ao planejamento de carreira para facilitar o alcance dos seus objetivos. Ele ainda precisa ser condizente com as suas competências e o cenário do mercado de trabalho.

Então, contemple as etapas necessárias para atingir o seu objetivo principal na carreira. Por exemplo, determine como entrar no mercado de trabalho, quais cursos fará, ou se vai buscar uma especialização.

Além disso, cada etapa deve ter algumas respostas bem claras. Sempre evidencie o que será feito, por que, quando, como, onde, qual será o prazo e quanto custará. Assim, será possível pensar de forma sistêmica.

Isso porque o caminho rumo à trajetória profissional nem sempre é reto. Ele costuma ter desvios, voltas e até passos atrás. Ainda assim, você deve sempre visar ao seu objetivo principal. Dessa forma, você consegue identificar as mudanças necessárias, fazer as correções e seguir em frente rumo ao que busca.

Mantenha a disciplina

A última dica é saber que a disciplina é fundamental, porque conquistar o objetivo do plano de carreira leva muito anos — até mesmo décadas, dependendo do que deseja. Então, é preciso ter paciência e fazer uma boa gestão de tempo.

Isso ajuda a saber como conciliar trabalho e estudo e por que fazer uma pós-graduação. Também se torna importante para os momentos em que você precisa de dicas de motivação para estudar.

Afinal, você precisará se especializar, fazer uma segunda graduação ou cursos específicos que ajudem a conquistar seu objetivo. Muitas vezes, aprender outros idiomas também é necessário. Devido a todos esses fatores, é preciso ter disciplina para seguir o que pretende conseguir.

Dessa forma, você pode descobrir que facilitará a sua rotina com um curso EaD, por exemplo. Ou que o tecnólogo é a melhor alternativa para se especializar e se preparar para o mercado de trabalho.

Assim, o plano de carreira é um instrumento usado nas empresas, mas também tem grande função no âmbito individual. Isso porque ajuda a definir o que realmente se deseja obter, o caminho que se deve seguir e muito mais.

Agora, você já sabe como montar o seu plano de carreira e para que ele serve. Então, está na hora de arregaçar as mangas e pensar sobre o seu futuro. Isso ajudará a ter forças para tomar decisões sérias e seguir adiante.

Gostou de conhecer mais sobre esse assunto e quer ajudar outras pessoas? Compartilhe este artigo nas suas redes sociais e mostre como um planejamento bem estruturado faz a diferença!

Compartilhe com seus amigos
Pular para o conteúdo