fbpx

Gestão de tempo: aprenda a equilibrar estudo e trabalho na sua rotina

Gestão de tempo: aprenda a equilibrar estudo e trabalho na sua rotina

Não são poucos os brasileiros que se dividem entre trabalho e faculdade ao longo da semana, buscando fazer, da melhor forma possível, uma gestão de tempo entre ambas as atividades. 

Afinal, o estudo é um investimento para um futuro com mais qualidade de vida, enquanto o emprego é a fonte de sustento atual para eles. Sendo, inclusive, responsável pelo custeio da formação acadêmica.

Nesse cenário, otimizar o tempo nem sempre é uma tarefa fácil. Além das atividades do emprego e do curso, ainda há os afazeres pessoais. Não é para menos que muita gente fala que é preciso se “virar nos 30” para fazer dar certo.

Logo, aperfeiçoar a gestão do tempo é justamente o que você precisa para tornar sua rotina mais produtiva. Este post vai lhe explicar o que ela representa na prática e como começar a melhorá-la para transformar sua vida. Continue lendo!

O que é gestão de tempo?

Gestão de tempo tem a ver com produzir mais na sua vida profissional, pessoal e acadêmica, utilizando o seu tempo disponível. Porém, essa produção não significa focar exclusivamente no montante das entregas, mas sim no equilíbrio entre quantidade e qualidade.

Para alcançar esse objetivo, você aprende, primeiramente, a identificar e cortar distrações que tomam o seu horário livre e atrapalham seus afazeres. Em seguida, começa a mudar comportamentos procrastinadores que o levam a repetir o mesmo padrão de ação.

Isto é, o de fazer apenas o que é fácil e simples. Empurrando com a barriga tudo aquilo que considera chato, cansativo ou extenso. O que, por sua vez, leva ao acúmulo de obrigações, à dificuldade em cumprir prazos e à incapacidade de honrar com as responsabilidades assumidas.

Por último, mas não menos importante, você passa a adotar, pouco a pouco, medidas de produtividade no seu cotidiano. Elas ajudam você a:

  • ter mais foco ao realizar alguma atividade;
  • agir com senso de prioridade;
  • dividir o seu dia entre múltiplos afazeres;
  • tornar o seu engajamento com tarefas mais eficiente.

Qual é a importância de adotar essa estratégia?

A importância da gestão do tempo está justamente em mudar aspectos negativos da sua rotina que trazem prejuízos generalizados para a sua vida. Afinal, ir mal na faculdade pode ocasionar uma reprovação ou um atraso para a tão sonhada formação. 

Por outro lado, ir mal no trabalho pode ocasionar reclamações, punições, perda de bonificações e, inclusive, desemprego.

Por isso, não administrar o tempo disponível para lidar com as demandas paralelas do trabalho e da graduação, cedo ou tarde, vai extrapolar sua organização pessoal e fazer com que você:

  • leve tarefas do curso para casa e abra mão do tempo livre que tem para descanso;
  • precise faltar ao trabalho para sanar as pendências da formação;
  • deixe de passar tempo de qualidade com a sua família para lidar com o trabalho;
  • não possa se dedicar como gostaria aos seus hobbies, passatempos e programas de lazer.

O pior de tudo é que essa rotina não ocorre uma vez. Ao contrário, passa a ser uma realidade frequente e maçante, impactando a sua qualidade de vida, o seu bem-estar e até mesmo o comprometimento que você tem com suas realizações pessoais e o futuro desejado. 

Como resultado, diante de tantas dificuldades, não é raro ver pessoas que acabam desistindo de estudar ou adiando esse investimento.

Como colocar a gestão de tempo em prática?

Agora que já ficou claro o que é a gestão do tempo, você deve estar se perguntando por onde começar a colocá-la em prática e aprimorá-la, não é mesmo? 

Por isso, reunimos, neste tópico, algumas dicas do que deve ser feito para torná-la mais eficiente. Tome nota!

Defina metas

Para uma boa gestão do tempo é essencial construir metas claras e objetivas, uma vez que elas serão responsáveis por guiar a sua organização e planejamento pessoal.

Por exemplo, imagine que a sua meta é ter mais tempo para estudar e, assim, ter um melhor desempenho na faculdade. Você começará a avaliar como pode dividir suas atividades na semana para ter mais horários livres.

Por outro lado, se a sua meta é organizar melhor os seus horários de trabalho — algo fundamental para quem é autônomo —, você planejará turnos de trabalho, ficando, assim, com uma parte específica do dia (manhã, tarde ou noite) para dedicar às tarefas profissionais.

Use uma agenda

A segunda dica para colocar a gestão de tempo em prática é utilizar uma agenda. Ela pode ser física, virtual (no celular ou tablet, por exemplo) ou mesclar as duas opções. Vai de acordo com o que você considera mais prático e acessível. O propósito dela é bem simples: lhe ajudar a ter um maior controle do que acontecerá ao longo da sua semana.

Nesse sentindo, você terá anotado quais são seus compromissos do trabalho e da faculdade. A partir desse novo costume, será possível se planejar para seus afazeres, evitando que eles se choquem ou pior: se acumulem em um mesmo intervalo de tempo.

Isso será ainda mais útil quando você estiver se aproximando do período de provas e trabalhos do curso. Assim, você terá como organizar a sua rotina de estudos e revisão sem grandes contratempos.

Priorize tarefas

Paralelo à agenda, há outro passo importante: começar a priorizar tarefas. Seja no emprego, seja nos estudos, é comum que você se depare com múltiplas atividades para fazer e se questione por qual delas começar. 

O grande erro da maioria das pessoas é não analisar, primeiramente, qual o nível de urgência de cada uma. Ao contrário, elegem como critério de escolha aquilo com que tem mais afinidade ou que consideram mais fácil.

O resultado disso é sempre o mesmo: o trabalho mais pesado é procrastinado ao máximo, fica por último e, recorrentemente, não há tempo para produzi-lo com excelência.

Em alguns casos, não dá nem mesmo para cumprir com o prazo ou surgem imprevistos que atrapalham tudo. Fazendo, inclusive, que seu cronograma para outros dias fique completamente desorganizado.

Portanto, faça listas diárias de prioridade para as suas obrigações. Considerando, em especial, o nível de complexidade e de atenção que elas merecem. Você verá uma diferença notável no seu cotidiano quando o assunto é aproveitamento de tempo.

Organize pausas

Entre uma atividade e outra do seu dia é importante que existam pequenas pausas. Por exemplo, de 10 a 20 minutos. Esse intervalo pode parecer irrelevante a princípio para ser seguido, mas acredite: cumpre um papel muito importante. Ele serve para que você possa descansar a sua mente, evitando que o trabalho/estudo ininterrupto cause uma fadiga mental.

Afinal, isso leva a pessoa a um ciclo contínuo de autocobrança para ir até o fim. Para completar, causa um pico de estresse elevado, provoca irritabilidade exacerbada e dificulta o bom funcionamento dos processos cognitivos (como memória, atenção e comunicação).

Portanto, tire esse momento para se alongar, botar a conversa em dia com um colega, conferir as atualizações das redes sociais, assistir alguma série etc. Caso prefira, você também pode se hidratar e fazer um lanche leve com aperitivos ou petiscos.

Desative as notificações dos seus aparelhos

Quem usa celular e/ou tablet no dia a dia sabe que eles emitem alertas quando você recebe uma nova notificação. Isso acontece independentemente da origem dela — redes sociais, e-mail, aplicativos, ligação, SMS etc. Logo, se esses aparelhos estão com o volume normal, você será interrompido a cada vez que eles tocarem.

Além de tirar a sua concentração, as notificações servem como gatilho estressor e de ansiedade. Afinal, você ficará curioso para saber do que se trata e, muito provavelmente, acabará interrompendo a tarefa para checá-las.

Portanto, para evitar isso, não basta deixar o celular e/ou o tablet no silencioso. É preciso desabilitar a função de notificação. A forma mais simples de fazer isso é colocando os aparelhos no modo avião.

Invista na educação a distância (EAD)

Se você ainda não iniciou sua graduação ou já até começou, mas está tendo problemas em conciliá-la com a vida profissional, considere investir na graduação EAD. Isso porque um curso presencial requer sua presença diária na instituição de ensino, o que envolve tempo de deslocamento até o local.

Para muitas pessoas, o trajeto é da casa para a faculdade e desta para o trabalho. Já para outras o circuito é casa, depois trabalho, e, em seguida, faculdade. Fora o período no trânsito, que pode ultrapassar longos minutos ou horas, há os custos para se locomover pela cidade. Soma-se a isso as despesas com refeições fora de casa.

Esses aspectos são bem desgastantes para quem já trabalha, uma vez que a pessoa passa o dia todo fora de casa. Como resultado, há pouco tempo livre para estudar, cuidar dos afazeres domésticos e ainda dar conta de questões pessoais.

Logo, uma boa alternativa diante desse dilema são as graduações a distância. Afinal, as disciplinas são lecionadas online e ficam disponíveis para acesso posterior.

Ou seja, você tem como acompanhar na hora e no dia que forem mais viáveis. Não é preciso ir até à faculdade e cumprir com frequência presencial, otimizando o seu tempo durante a semana e ainda economiza enquanto segue concretizando seu objetivo de se graduar.

Quais os efeitos de uma má gestão de tempo?

Nos tópicos anteriores, falamos sobre o que é gestão de tempo, a importância dela e ainda compartilhamos as principais dicas para exercitá-la na sua rotina. 

Agora é o momento de alertar sobre os efeitos negativos que podem surgir quando você não adota essa solução para equilibrar seus afazeres e compromissos. Fique atento!

Queda de produtividade

Quando você não coloca em prática uma gestão de tempo, um dos primeiros resultados a aparecer é a queda de produtividade. Você não consegue fazer a mesma quantidade de coisas de antes. Quando consegue, é preciso o dobro de esforço. Isso porque, na proporção em que cai o seu rendimento, aumenta a sua sensação de cansaço e de desmotivação.

Suas atividades diárias se tornam apenas obrigações a serem cumpridas. Apenas mais do mesmo. Para completar, as outras pessoas observam essa mudança no seu desempenho e passam a reduzir o seu envolvimento em atividades grupais. O objetivo disso é não serem prejudicados pela sua queda de produtividade.

Menor qualidade em entregas

Muitas pessoas até conseguem cumprir com as atividades na faculdade e no trabalho, mas não o fazem com primor necessário para um bom resultado.

Na realidade, é comum que a produção e a finalização delas seja de qualquer jeito, só mesmo para não atrasarem ou gerarem cobranças posteriormente. Ou então para não surgir um clima ruim com os colegas. Logo, o rendimento final cai, pois a qualidade da entrega se torna mediana.

Isso é prejudicial para o desempenho do aluno. Afinal de contas, impacta diretamente o aprendizado e a vivência acadêmica que ele tem. Para o profissional, também é igualmente ruim. O motivo é que isso acende um alerta na empresa de que ele estagnou. Faz com que os supervisores diretos comecem a considerar a possibilidade de um desligamento.

Aumento do nível de estresse

Outro impacto negativo da falta de uma gestão de tempo é o aumento do estresse diário. Afinal, você passa a lidar com atrasos nos seus afazeres, dificuldade para engatar novos interesses acadêmicos e baixo comprometimento com as demandas da empresa.

Há ainda as notas aquém do esperado no curso e as cobranças e reclamações de terceiros pela baixa produtividade no trabalho e na faculdade. Tudo isso gera desmotivação e sensação de impotência.

Nessa situação, acaba sendo inevitável o aumento do estresse que, consequentemente, leva a uma sobrecarga emocional responsável por causar fadiga física e mental. Em casos graves, o estresse se torna crônico, chamado de síndrome de burnout. 

A própria Organização Mundial da Saúde, por meio de nota no site, passou a reconhecer esse problema como uma doença ocupacional em 2019.

Gostou do artigo? Então acompanhe a FABAD nas redes sociais (Facebook, Instagram, LinkedIn e YouTube) para saber quando há novas publicações no blog!

Compartilhe com seus amigos
Pular para o conteúdo