fbpx

Normas ABNT: dicas essenciais para montar seu trabalho acadêmico

Estudante revisando os estudos e as normas ABNT.

Enquanto você faz faculdade, precisa conhecer e utilizar as normas ABNT. Criadas pela Associação Brasileira de Normas Técnicas, elas são adotadas em diferentes situações do ensino superior, tanto na graduação quanto na pós.

Elas são essenciais para evitar conflitos na identificação de fontes e referências. Além disso, contribuem para a compreensão dos conteúdos elaborados.

É bem provável que, ao ler algum trabalho acadêmico, você tenha se deparado com a indicação da fonte original da citação. Tendo essa informação, você pode pesquisar essa referência e tirar qualquer dúvida que tenha surgido.

Além disso, podem ser colocadas notas de rodapé e outros detalhes que contribuem para o entendimento geral do contexto que está sendo explicado.

Portanto, independentemente da sua faculdade, as normas ABNT são fundamentais, inclusive para a graduação EaD. Então, que tal conhecê-las? Entenda como funcionam e quais são as principais dicas. Continue a leitura!

O que é a ABNT?

A ABNT é a Associação Brasileira de Normas Técnicas. Esse é o órgão que regulamenta os padrões técnicos a serem seguidos por diferentes setores de atuação. Cada uma das regras definidas é chamada de NBR, sendo seguida por um número.

Portanto, a ABNT não é válida somente para a produção dos trabalhos acadêmicos. Ela é utilizada na construção civil, gestão ambiental, segurança ocupacional, gestão da qualidade e mais.

No caso da redação, o foco é padronizar a maneira como os trabalhos acadêmicos serão escritos e estruturados. Isso garante que o conteúdo seja compreendido por qualquer pessoa que o ler. Ao mesmo tempo, também favorece a interpretação do texto e a boa qualidade do material.

Vale a pena destacar que documentos privados também podem utilizar as regras da ABNT. No entanto, nesse caso é opcional. Em relação aos trabalhos acadêmicos, é obrigatório.

Fundação da ABNT

A ABNT foi fundada em 1940 e é uma associação sem fins lucrativos. Ela tem como propósito trabalhar com a sociedade e os governos para trazer segurança e benefício aos consumidores. Ainda tem como propósito o aumento da simplicidade da comunicação.

O surgimento da ABNT foi necessário por uma demanda da própria sociedade. Ainda nos meados do século XX, o transporte ferroviário começou a se desenvolver no Brasil, mas não havia uma padronização.

Na época, seguia-se um padrão semelhante ao do sistema ferroviário inglês. Contudo, o setor de produção de aço e ferro não atenderam à demanda. Por isso, vários engenheiros civis se reuniram para normalizar o setor. Assim, surgiu a ABNT.

Apesar disso, as normas estabelecidas não são obrigatórias no Brasil, apenas em outros países. De toda forma, elas são muito exigidas para aumentar a qualidade dos produtos e serviços.

Importância da ABNT

Todo país precisa de normas regulamentadoras para seguir e padronizar as informações e os projetos. Isso é importante tanto para os trabalhos acadêmicos quanto para outros setores, como a engenharia e a arquitetura.

No caso do ensino superior, as normas da ABNT são necessárias para facilitar a avaliação dos trabalhos. Assim, é possível ter um parâmetro de análise, contribuindo para a acessibilidade e a precisão de informações e conhecimentos.

Quais são as principais normas ABNT para a formatação de trabalhos acadêmicos?

As principais normas ABNT para a formação de trabalhos acadêmicos são: 

  • NBR 10520: determina o formato das citações nos trabalhos acadêmicos;
  • NBR 6022: define os princípios gerais para apresentar os elementos que compõem o documento;
  • NBR 6023: indica como as referências do trabalho devem ser elaboradas, como precisam ser ordenadas, de onde podem ser retiradas etc.;
  • NBR 6024: traz os detalhes para a numeração de títulos e subtítulos das produções textuais;
  • NBR 6027: delimita a estruturação e a apresentação dos elementos no sumário;
  • NBR 6028: sinaliza o que precisa conter no resumo dos trabalhos escritos;
  • NBR 14724: ensina as principais etapas para elaborar os elementos pré e pós-textuais, além dos textuais;
  • NBR 15287: mostra como o projeto de pesquisa deve ser montado.

É fundamental perceber que todos os itens que compõem um trabalho acadêmico estão previstos pelas normas ABNT.

Portanto, é necessário seguir todos eles, já que as faculdades costumam fazer essa exigência. Por sua vez, essas regras não costumam ser cumpridas pelo mercado de trabalho.

Quando utilizar as normas ABNT no ambiente acadêmico?

As normas ABNT são utilizadas no ambiente acadêmico nas seguintes situações:

Artigos acadêmicos

Os artigos publicados futuramente ou enviados para uma banca de avaliação devem ter um padrão. Por isso, a ABNT é essencial.

Dentro desse contexto, estão incluídos: 

Assim, siga, especialmente, a NBR 14724, com uma estrutura básica.

Pesquisas

Todo projeto de pesquisa também deve seguir as normas da ABNT. Assim, é importante fazer a elaboração do documento com introdução, hipótese, objetivo, metodologias aplicadas e conclusões, conforme as regras determinam.

Ainda será necessário inserir lista de abreviaturas e símbolos, folha de rosto, tabelas, citações e fórmulas. Em relação à contagem de páginas, espaçamento e ilustrações, é importante seguir o que está especificado na NBR 15287.

De toda forma, lembre-se de que todas essas regras servem para aliar o conhecimento teórico e prático de forma padronizada.

Com elas, você sabe exatamente o que fazer para garantir que os seus trabalhos acadêmicos estejam dentro do que as universidades esperam.

Qual a estrutura obrigatória de trabalho conforme a ABNT NBR 14724?

A estrutura obrigatória de trabalho, conforme a ABNT NBR 14724, é a que apresentamos abaixo. Confira!

Formatação básica

Todo trabalho acadêmico deve estar em folhas A4. Esse é o padrão utilizado pela maioria dos editores de texto. De toda forma, certifique-se de que esse é o tamanho utilizado. Caso contrário, terá que ajustar ao final e isso gerará problemas na configuração.

O espaçamento entre as linhas é de 1,5 no texto. Por sua vez, nas citações longas — com mais de 3 linhas —, deixe 1,0. As margens são de 3 cm nas partes esquerda e superior. Já na inferior e na direita, é 2 cm.

Fontes

As fontes usadas são a Arial e a Times New Roman. O tamanho da letra é 12, sempre na cor preta. A única exceção são para:

  • tabelas;
  • legendas;
  • referências;
  • citações.

Esses elementos seguem o tamanho 10. Já palavras e expressões em outros idiomas devem estar destacadas em itálico.

Elementos pré-textuais

Esses são os itens colocados na parte anterior à introdução. Ou seja, os elementos pré-textuais são

  • capa;
  • folha de rosto;
  • agradecimento;
  • folha de aprovação;
  • resumo;
  • listas de tabelas, abreviações, imagens e símbolos;
  • sumário — deve ser o último elemento antes do texto propriamente dito, isto é, da introdução.

Elementos pós-textuais

São os itens inseridos após o conteúdo. Portanto, contempla:

  • referências bibliográficas;
  • apêndices;
  • glossários;
  • anexos.

Esses três últimos elementos são opcionais. Apesar disso, eles devem ser citados no sumário, se for o caso, existindo a possibilidade de ser feito de forma automática por alguns editores de texto. Basta configurar os títulos para que o programa identifique-os e faça a inserção.

Paginação e cabeçalho

Todos os elementos pré-textuais são contabilizados, menos a página de erratas e a capa. No entanto, os números da paginação só começam a aparecer na introdução. Ou seja, há contagem, mas não inserção na folha.

Quanto aos elementos pós-textuais, eles são contabilizados e numerados. Você pode configurar a paginação após a introdução na contagem certa em alguns editores de texto, como o Word. Além disso, essa é a única informação no cabeçalho.

Rodapé

Os rodapés são usados para notas explicativas, referências e comentários. A fonte usada é a mesma do restante do arquivo, mas em tamanho 10.

Citações e referências

Todos os dados, livros, matérias de jornal, artigos de sites, fontes de estudo devem ser incluídos nas referências bibliográficas.

Também se faz necessário a indicação em nota de rodapé. Por isso, indica-se fazer o registro de todas enquanto escreve o trabalho para evitar a procura posterior, o que pode levar a um esquecimento.

O correto para as citações e referências é o seguinte formato: “SOBRENOME, nome do autor. Título: subtítulo. Local: editora, data”. Caso seja utilizado um material da internet, é preciso incluir o link e a data de acesso originais.

Vale a pena destacar que, no corpo do texto, as citações podem ser de duas formas

  • diretas: quando o trecho é reproduzido com exatidão;
  • indiretas: quando a parte do texto é reescrita com as suas palavras.

Para inserir as informações de referência nas citações diretas, coloque sobrenome do autor, ano e número da página de onde o trecho foi retirado. Isso deve ser feito entre parênteses. 

Por exemplo: “(SOBRENOME, ano, p. 3)”. Caso fique com mais de 3 linhas, o trecho deve ser inserido em um parágrafo separado, com recuo de 4 cm à esquerda e tamanho 10.

Por sua vez, as citações indiretas devem conter apenas sobrenome e nome entre parênteses. Por exemplo: “(SOBRENOME, ano)”. Ou seja, é mais simples.

Ilustrações

É comum inserir ilustrações para exemplificar o que está sendo escrito e complementar o conteúdo.

Nessa categoria, estão incluídos mapas, desenhos, gráficos, modelos, fórmulas, diagramas, fotografias, fluxogramas, organogramas e mais. Nesse caso, as regras gerais são: 

  • fazer a inserção o mais próximo possível do trecho a que se referem;
  • colocar o tipo, o título e o número sequencial na parte superior da imagem;
  • citar a fonte a parte inferior, mesmo que seja de autoria própria;
  • centralizar a ilustração, a fonte na página e o título;
  • utilizar tamanho 10 para as informações escritas;
  • fazer uma lista de ilustrações quando utilizadas mais de 10 imagens.

Além disso, é possível fazer o controle da numeração e a criação de lista de forma automática pelo Word. Assim, há menos chance de erros.

Todas essas dicas você encontra diretamente nas regras da ABNT e também nas informações das universidades. É importante citar que, em alguns casos, há pequenas mudanças de uma instituição ou entidade para outra.

Portanto, uma revista científica pode pedir alguma alteração em relação às normas comuns da ABNT. Com isso, é necessário ter atenção a esses detalhes.

Além do mais, existem sistemas que fazem a padronização automática de referências e citações a partir da inserção das informações do trecho. Dois dos mais usados são o Menthor e o MORE.

Ainda assim, é fundamental conhecer as normas para se certificar de que elas estão corretas e adequadas à instituição de ensino superior.

Vale a pena destacar que a ABNT não interfere no processo de como escolher o curso da faculdade. Afinal, elas são válidas para todos os tipos de graduação e pós (incluindo especialização, mestrado e doutorado).

As normas da ABNT também são usadas em um curso tecnólogo. Isso porque eles têm o mesmo patamar de uma graduação. Portanto, os trabalhos acadêmicos elaborados seguem o padrão.

Ou seja, você vai se deparar com as normas ABNT. No entanto, seguindo essas dicas apresentadas no conteúdo, ficará muito mais fácil colocá-las em prática.

Você também pode pesquisar e contar com a ajuda de softwares, como os apresentados, ou com especialistas em formatação de trabalhos.

O que importa é que o conteúdo seja escrito por você. Dessa forma, você comprova os seus conhecimentos e evidencia por que fazer uma pós-graduação e uma graduação vale a pena.

Então, as normas ABNT são apenas uma das etapas necessárias. Seguindo-as e mostrando o seu esforço na elaboração do trabalho, você receberá a aprovação com louvor.

Gostou dessas dicas e quer receber outras? Siga as redes sociais da FABAD! Estamos no Facebook, LinkedIn, Instagram e Youtube.

Compartilhe com seus amigos
Pular para o conteúdo