fbpx

Ensino digital: o que é e seus impactos na vida acadêmica

Jovens estudando pelo computador graças ao ensino digital.

O ensino digital vem ocupando espaço não só na internet, mas também nas rodas de conversas de amigos, familiares e colegas. Afinal, mais pessoas vêm descobrindo como ele funciona e quais os seus diferenciais, por ser uma modalidade que ajuda na continuidade dos estudos.

Porém, em paralelo a esse movimento, também há pessoas que ainda tem dúvidas, buscando informações sobre o tema. Pensando nisso, o ideal é esclarecer o que é o ensino digital e o porquê de ser uma tendência do futuro no mercado educacional. Acompanhe!

O que é o ensino digital?

É uma modalidade de estudo e formação disponível aos diferentes níveis de educação no Brasil, como na graduação e pós-graduação. Com ele, é possível ter:

  • aulas;
  • atividades;
  • tarefas;
  • debates acadêmicos;
  • networking.

Essa é uma proposta essencial, uma vez que considera a realidade de milhões de brasileiros que não conseguem se engajar com cursos presenciais, por motivos de:

  • incompatibilidade de horários;
  • agenda de trabalho corrida;
  • distância da instituição;
  • custo das mensalidades.

Isso sem falar que muitos estudantes querem ter flexibilidade na rotina para dar conta da formação e de outros interesses pessoais e profissionais.

Outra grande parcela também quer controle sobre a forma como vão ler, pesquisar, revisar e treinar exercícios. Em especial, quando estão voltando a estudar depois de um tempo parados ou quando querem iniciar uma segunda graduação.

Portanto, o ensino digital é uma opção certa para atender às necessidades de todos esses indivíduos, promovendo, assim, um ingresso na educação continuada de forma acessível e personalizável.

Além disso, a modalidade é mais empática com as demandas particulares dos acadêmicos, impactando no desempenho dos estudos.

Quais são os benefícios dessa forma de ensino?

Agora, conheça os benefícios que essa modalidade traz no percurso de formação das pessoas e na construção do conhecimento. Confira!

Adaptação de métodos de estudo

O ensino digital explora metodologias diferentes de ensino-aprendizagem para tornar esse processo mais eficiente.

Isso inclui, por exemplo, os estímulos ao protagonismo do aluno para que ele identifique a melhor rotina de estudo para si e que se engaje nos momentos de interação com a turma.

Também há o incentivo às atividades extracurriculares para um ganho de conhecimento dinâmico. Um aprendizado que, dessa forma, não fica restrito ao momento da aula.

Além disso, há ainda a exposição dos estudantes a situações e problemas vivenciados no mercado de trabalho. Portanto, é um processo fundamental para que ele trace estratégias de ação e intervenção baseado nos conhecimentos já adquiridos.

Assim, é possível ter um panorama dos desafios do mercado e começar a desenvolver habilidades e competências para se sobressair profissionalmente.

Formas interativas de aprendizado

O ensino digital compreende o fato de que o aprendizado não se dá por apenas uma única via, como, por exemplo, só com livros.

Ao contrário, ele explora todas as possibilidades com a qual o aluno pode ter contato com a matéria, indo, assim, além dos recursos tradicionais já conhecidos.

Além disso, valoriza formas com as quais o estudante pode aprender de maneira produtiva e interativa, como:

  • jogos;
  • aplicativos;
  • produções audiovisuais;
  • materiais virtuais de leitura.

Aulas motivadoras, atrativas e engajadas

As aulas no ensino digital também são diferenciadas. Elas otimizam o tempo de informação para que os alunos possam trabalhar melhor a capacidade de concentração.

Ao mesmo tempo, trazem ferramentas que engajam o aluno com o conteúdo e tornam as explicações mais leves e atrativas.

Os professores motivam continuamente os estudantes a complementarem o que é discutido por eles. Em especial, por meio de pesquisas e leituras extras.

Por que o ensino digital vai além do EAD?

É normal ler conteúdos sobre o ensino digital e pensar, automaticamente, no ensino a  distância (EAD). Apesar de serem duas modalidades parecidas, são diferentes, tornando fundamental saber a respeito! 

No EAD, as atividades têm como principal característica o assincronismo. Ou seja, durante as atividades, não há a presença de todos os interessados ao mesmo tempo.

O principal exemplo disso são as aulas gravadas, em que o professor explana o conteúdo sem ter contato direto com os alunos.

Posteriormente, elas são liberadas no ambiente virtual de aprendizagem. A partir daí, o estudante acompanha o ensinamento com total liberdade de escolha para assistir, pausar, avançar e voltar a conferir os vídeos.

Nessa modalidade, quando há dúvidas sobre a matéria, o estudante solicita ao suporte do tutor ou recorre ao docente em outro momento.

No ensino digital, por outro lado, é possível que haja a manutenção de atividades no formato EAD, mas que existam também aulas online e ao vivo. Ou seja, são encontros agendados para serem realizados de forma remota entre alunos e professores.

Portanto, você tem a oportunidade de interagir com a sua turma, conhecendo-a melhor e cultivando laços interpessoais com os colegas.

Dessa forma, é possível:

  • propor discussões;
  • levantar questionamentos;
  • solicitar mais referências de estudo das disciplinas.

Assim, são disponibilizadas ações relevantes para se aprofundar nos conteúdos.

Portanto, o ensino digital é um termo guarda-chuva. Isto é, contempla diferentes formatos de concessão de aulas.

Como o ensino digital pode ser incluído no processo de formação dos alunos?

Além das aulas ao vivo, ferramenta essencial para diversificar o aprendizado, o ensino digital pode ser inserido de outras maneiras na sua formação.

Dessa forma, proporcionam maior apropriação da tecnologia atual, contribuindo para o aumento do seu repertório de habilidades e para uma maior preparação para o mercado de trabalho. A seguir, conheça alguns exemplos:

Videoconferências

As videoconferências promovem encontros entre alunos, podendo incluir docentes e tutores. No entanto, o foco vai além do repasse de conteúdos ou esclarecimento de dúvidas, dando a oportunidade para trabalharem estudos de caso, como uma atividade extracurricular, por exemplo.

Assim, você pode se encontrar virtualmente com os colegas e explorar as possibilidades que o ambiente digital proporciona para aumentar a performance nos estudos. Outras possibilidades são:

  • discussão sobre produções científicas;
  • formação de grupos de estudo;
  • revisões compartilhadas.

Blogs

Os blogs, por sua vez, trazem conteúdos das disciplinas de uma forma destrinchada, explicando, por exemplo:

  • conceitos;
  • teorias;
  • curiosidades;
  • aspectos históricos da área abordada.

Dessa forma, você garante conhecimento além do que é estudado em aula. Além disso, vários blogs abordam dicas e macetes para melhorar a qualidade do seu estudo e do seu desempenho acadêmico, servindo como fonte estratégica de motivação.

Podcasts

Os podcasts funcionam de forma complementar às opções anteriores. Um bom exemplo disso é quando a modalidade promove entrevistas com profissionais que já trabalham no ramo que você está estudando.

Isso dá a chance de você entender melhor como a faculdade o prepara para a vida profissional.

Além disso, os conteúdos costumam abordar sobre a empregabilidade no mercado atual, assim como:

  • possibilidades de atuação;
  • tipos de percurso para o primeiro emprego na área;
  • dicas para garantir uma vaga.

Ambiente Virtual de Aprendizagem

O Ambiente Virtual de Aprendizagem é mais do que o espaço onde você encontra aulas e se comunica com tutores e docentes.

O local também possibilita sua participação em fóruns com os colegas de curso, favorecendo sua rede de contatos e proporcionando a construção do conhecimento coletivo.

Além disso, você tem acesso ao material didático produzido pela instituição de ensino, como documentos virtuais que ajudam a revisar, treinar e se aperfeiçoar nas matérias.

Como a educação digital impacta na vida profissional?

Como mencionado, o ensino digital traz versatilidade e autonomia nos estudos, tanto para quem está saindo do ensino médio e entrando na faculdade, quanto para quem pensa em voltar ao ambiente acadêmico.

No entanto, os impactos positivos dessa modalidade de educação não param por aí. Confira outras repercussões essenciais!

Democratização do acesso à informação

O ensino digital proporciona aos acadêmicos o aprendizado de como o conhecimento é produzido, compartilhado e atualizado na era da internet.

Portanto, isso é fundamental para democratizar o acesso à informação e fomentar o raciocínio crítico sobre o processo. Além disso, contribui para potencializar a produção científica no país.

Inclusão social

Muitas pessoas desejam ingressar no ensino superior, mas não o fazem por conta das mensalidades que não cabem no orçamento pessoal.

Portanto, a situação constrói uma limitação ao público que poderia aproveitar o ambiente acadêmico e as oportunidades que ele oferece.

No entanto, o ensino digital busca mudar esse cenário, tornando o custo dos cursos mais acessível. Com isso, mais pessoas conseguem dar o primeiro passo na carreira.

Dessa forma, há um aumento da inclusão social, transformando a faculdade em um espaço para todos, independentemente de classe social, idade e gênero.

Estímulo da autogestão

No estudo digital, o aluno planeja o fluxo de horários livres para assistir às aulas. Além, é claro, de revisar matérias e se preparar para avaliações e trabalhos.

Assim, você é estimulado a praticar a autogestão. Ou seja, a capacidade de avaliar o que é prioridade, estabelecer metas e cumprir prazos, que muitas vezes estipula para si mesmo. 

Portanto, aprende-se a ter mais disciplina, foco e produtividade, características valiosas para o mercado de trabalho.

Como a FABAD incentiva esse modelo de educação?

A FABAD está há mais de meio século no mercado educacional, formando profissionais para as mais diversas áreas de atuação, oferecendo cursos de graduação, pós-graduação e extensão.

A instituição é credenciada pelo Ministério da Educação (MEC), órgão com competência máxima para fiscalizar, monitorar e atuar em todos os centros de ensino do país, desde a educação básica até a educação superior.

Na avaliação do próprio MEC, chamada de conceito institucional, que vai das pontuações 1 a 5, a faculdade FABAD recebeu média 4. Isso reforça o compromisso da organização em não apenas ter infraestrutura, administração e corpo docente como  referências, mas em assegurar a qualidade do ensino para os estudantes.

Dessa forma, a faculdade disponibiliza tutoria (inclusive de forma assíncrona) para que você tenha o suporte necessário nas disciplinas que está cursando.

A FABAD também investe na realização de aulas ao vivo, com foco principalmente na revisão e resolução de dúvidas, sendo um momento essencial e totalmente interativo por meio de formulário de perguntas, para que todos fixem os conteúdos já aprendidos.

Além disso, há o Núcleo de Educação a Distância, que permite aos universitários encontrar materiais de auxílio e imersão nas práticas de estudo online.

A instituição ainda conta com outros serviços de suporte, como o Apoio Psicopedagógico para quem demanda uma adaptação personalizada a essa nova realidade de estudo.

Para complementar o currículo dos alunos, há iniciativas interessantes. É o caso dos convênios com empresas para estágios supervisionados e dos programas de iniciação científica. O vestibular online é outra iniciativa que visa justamente descomplicar o ingresso no ensino superior.

Como mencionado, o ensino digital é uma alternativa ao modelo presencial, sendo uma proposta de formação que incentiva novas metodologias de aprendizado e promove a autonomia do aluno.

Além disso, essa formação inclui recursos tecnológicos como parte fundamental para a preparação profissional.

Portanto, se você tem interesse em começar a sua graduação, não deixe para depois. Confie no potencial do ensino digital e veja como estudar em uma faculdade que investe nessa modalidade, como a FABAD. Acesse o site da instituição e descubra mais!

Compartilhe com seus amigos
Pular para o conteúdo