fbpx

Educação personalizada: como o ensino a distância pode contribuir

Jovem fazendo exercícios de Inglês enquanto escuta a professora no computador, por meio de uma educação personalizada.

O processo de ensino passou por mudanças expressivas nos últimos anos. Isso é ainda mais acentuado nas formações de nível superior, em que a estrutura dos cursos, o formato das aulas e as iniciativas de ensino trouxeram novas metodologias de aprendizado. Um bom exemplo disso é a educação personalizada.

Para falar mais sobre isso e exemplificar os benefícios que essa personalização traz para você, montamos este artigo. Siga com a leitura e fique por dentro dessa tendência que veio para ficar!

O que é educação personalizada?

A personalização do ensino significa deixar para trás o modelo verticalizado de ensino-aprendizagem. Isto é, onde o aluno ocupa uma posição passiva durante toda a formação, apenas sendo o receptor do conhecimento durante as aulas.

No lugar, o estudante passa a ser constantemente estimulado a sair da zona de conforto e a participar continuamente da vivência acadêmica. Ou seja, ele é desafiado a:

  • trazer outros pontos de vista sobre os conteúdos estudados. Pensando, dessa forma, em propor uma imersão nos assuntos ao lado dos colegas e professores;
  • propor temas para debate e análise conforme as determinações dos órgãos competentes da categoria profissional desejada;
  • pesquisar mais detalhes e informações sobre a matéria e os principais autores dela, inclusive visando pesquisas e produções científicas futuras;
  • desenvolver posicionamentos críticos e éticos sobre o exercício profissional;
  • resolver problemas e atividades que simulam casos reais do mercado de trabalho. Articulando os conhecimentos com as práticas de estágio e os ensinamentos das aulas;
  • aprender qual o ritmo de estudo se encaixa com os demais afazeres da rotina dele;
  • reconhecer quais as estratégias de assimilação de conteúdo são mais funcionais no próprio aprendizado. Reconhecendo que ele é um indivíduo com particularidades e demandas próprias.

O que não se enquadra como personalização do ensino?

Além do que já foi dito, é preciso explicar o que, definitivamente, não representa esse termo. Para começar, educação personalizada não se trata de optar quais conteúdos você vai estudar ou evitar.

Ignorando, por exemplo, uma determinada disciplina apenas porque, de cara, ela não parece tão interessante quanto outras. Se a temática é prevista na graduação, não tenha dúvidas: ela é fundamental para ganho de conhecimentos e o seu desenvolvimento profissional.

Outro caso que não se enquadra dentro dessa personalização é mudar ou mesmo trocar a grade curricular da formação como bem desejar.

Afinal, ela é planejada pela instituição de ensino para que o projeto pedagógico dos cursos de nível superior sigam as diretrizes do Ministério da Educação.

Algo que é fundamental para que eles possam ser aprovados, credenciados e disponibilizados para os brasileiros. Respeitando, assim, o compromisso com a qualidade da capacitação profissional em diferentes áreas (Marketing, Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Logística, Teologia e outros).

Como funciona a educação personalizada na prática?

A seguir, mostraremos alguns exemplos de como a educação personalizada repercute no seu aprendizado e ajuda na rotina de estudos. Fique atento a cada um!

Adapta-se às suas necessidades

Sabe quando você está com o dia atarefado, impossibilitado de ter o tempo disponível que gostaria para estudar? Pois bem, com a educação personalizada é possível gerir e aproveitar melhor os seus horários livres, adaptando a sua formação às suas necessidades.

Por exemplo, você separa conteúdos mais rápidos para ler e revisar nesses intervalos. Também pode fazer o mesmo listando algumas videoaulas ou podcasts para conferir/assistir e estar em contato com a matéria. Há ainda a possibilidade de planejar exercícios de fixação para fazer nos horários livres, como flashcards ou mapas mentais.

Melhora o rendimento e o aprendizado

Outro impacto positivo está no rendimento e no nível de aprendizagem. Você tem a alternativa de planejar como vai acompanhar as aulas.

No formato convencional, elas são em hora pré-marcada e em um lugar predeterminado. Logo, se atrasar ou mesmo perdê-las significa acumular conteúdo e “ficar para trás” em relação à turma.

Porém, com a educação personalizada isso é mudado, você tem mais flexibilidade para assistir às aulas sem ficar preso a um calendário engessado. A tecnologia entra em cena e permite que você repense a interação com colegas e docentes.

Mas não só isso: que você potencialize o seu desempenho acadêmico conforme as principais demandas que têm ao longo do curso.

Aprimora as suas competências

A educação personalizada funciona como força-motora para você aprimorar competências sociais diversas. Habilidades que serão úteis na vida estudantil e também na vida profissional.

É o caso da disciplina, da organização, da capacidade de priorização de tarefas, do seguimento de prazos e da responsabilidade com compromissos..

Tudo isso é desenvolvido e aperfeiçoado porque você se torna um estudante independente desde o início do curso.

Com escolhas acerca da própria formação que envolve desde o contato com a matéria até o acompanhamento das aulas. Ou seja, a educação é um investimento que vai além da aquisição de conhecimento.

Otimiza o seu plano de estudo

A educação tradicional aplica um modelo de aprendizado que é universal. Ou seja, que é voltado para todos, sem considerar as particularidades de cada indivíduo.

Portanto, o ritmo de contato com novos conteúdos, assuntos e questões de mercado profissional é só um.

A questão é que para uma boa parcela dos estudantes essa não é a melhor saída. Há aqueles que demandam mais tempo de imersão para um melhor aprendizado, enquanto outros conseguem compreender e reter os temas com muito mais rapidez.

Nenhum dos dois lados está errado ou em desvantagem. O que ambos precisam é ser respeitados, ouvidos e, acima de tudo, de inclusão. Logo, com a personalização, esse problema é resolvido, pois cada acadêmico tem autonomia para ajustar o ritmo de estudo.

Como funciona a relação entre educação personalizada e o EAD?

A educação a distância cumpre um papel central na personalização do ensino. Afinal de contas, ela dá o protagonismo acadêmico ao estudante. Permitindo, por exemplo, que ele tenha voz sobre como a aprendizagem é mais eficaz para ele. Ou seja, se é no formato presencial, semipresencial ou EAD.

Além disso, com o modelo de aulas gravadas e disponibilizadas virtualmente, o aluno pode colocar em prática a flexibilidade e a acessibilidade aos conteúdos, escolhendo, de acordo com a própria realidade e experiência enquanto estudante, a forma como vai acompanhar a matéria. Logo, ele adapta o dia a dia para aprimorar o rendimento e otimizar os estudos.

Algo que faz a diferença para evitar a sobrecarga de disciplinas e a procrastinação de atividades da faculdade. O que é ruim não apenas por comprometer o desempenho acadêmico, como também as oportunidades de networking que essas vivências trazem.

Há ainda os benefícios psicológicos, já que evita o aparecimento de problemas como a síndrome de burnout. Algo que muitas pessoas têm desenvolvido pelo estresse excessivo causado por assumirem múltiplas responsabilidades pessoais, profissionais e acadêmicas e não conseguirem levá-las adiante.

Como explicado, a educação personalizada é mais do que repensar a relação do acadêmico com o processo de aprendizagem. É promover mudanças significativas que tornem as formações mais dinâmicas e, acima de tudo, acessíveis aos novos perfis de estudantes.

Com isso, a qualificação desses futuros profissionais será ainda mais competente e apta a suprir as demandas dos diferentes setores do mercado.

Está pronto para mudar a sua educação? Então, acesse o site da FABAD e saiba mais!

Compartilhe com seus amigos
Skip to content