fbpx

ENADE: o que é, para que serve e sua obrigatoriedade

Estudante realizando a prova do ENADE.

Além dos desafios e novidades que a vida universitária traz, muitos graduandos se deparam com um processo avaliativo que não conheciam até entrar na faculdade. Trata-se do Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (ENADE).

Diante disso é comum surgirem dúvidas. Por exemplo, sobre como ele funciona, qual o propósito dele, quando ocorre, quem deve realizá-lo e qual o estilo da prova.

Se você também tem os mesmo questionamentos, continue a leitura. Nós vamos explicar tudo o que você precisa saber para se manter bem informado sobre o exame. Acompanhe!

O que é e qual o objetivo Enade?

É uma avaliação voltada especificamente para quem está finalizando o curso desejado — que pode ser bacharelado, licenciatura ou tecnólogo.

Isso porque o intuito é traçar um panorama de como esses estudantes estão deixando o ambiente de ensino e entrando no mercado de trabalho. Ou seja, se os alunos absorveram e dominam os aprendizados obtidos ao longo dos semestres ou se há deficiências na capacitação profissional deles.

Ela foi estabelecida pela lei nº 108861/04. Desde então, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) é a entidade responsável pela elaboração e aplicação da prova em todo o país.

Para quais cursos ele é obrigatório?

O Enade é válido para todas as formações existentes no Brasil. O que muda é quando isso ocorre. Afinal, o exame é aplicado anualmente. Porém, cada ano conta com apenas um determinado ciclo avaliativo de cursos previamente divulgado por portaria no site do Inep.

Por exemplo, em 2022 foi publicada a portaria nº 41. Ela determinou que seriam analisados estudantes como os de Teologia, Serviço Social, Marketing, Processos Gerenciais e Logísitca.

Já para 2023, a portaria nº 124 estabeleceu que o ciclo contaria com graduações como Medicina, Farmárcia, Radiologia, Agronegócio e Fisioterapia.

Uma vez que o curso foi avaliado, a próxima testagem tem um prazo de até três anos estabelecidos pela lei nº 108861/04 para ocorrer novamente.

Quem participa do exame?

A participação é obrigatória para os universitários que estão no último ano de formação.  Porém, fique atento: isso só se aplica se a sua graduação foi listada no ciclo avaliativo do ano vigente.

Caso ela não esteja, você é devidamente dispensado. Como mostramos há pouco, a rotatividade é grande e nem todos os concluintes vão passar por essa experiência.

Como funciona a prova do Enade?

A prova ocorre no formato presencial e em apenas um único dia, com data e local previamente divulgados para os participantes. Ao todo, ela reúne 40 questões — sendo cinco delas discursivas e o restante na modalidade objetiva.

Para completar, ela é dividida em dois eixos: núcleo de formação geral e núcleo de componentes específicos.

Portanto, o exame busca averiguar os diferentes conteúdos abordados na sua graduação. Desde aqueles introdutórios e teóricos até os que trazem temáticas legais, científicas e éticas relacionadas ao exercício da sua futura profissão.

Como se cadastrar para fazer o Enade?

A inscrição no processo de avaliação do Enade não é feita pelo estudante. É pela própria instituição de ensino onde ele realiza a graduação. Afinal, a faculdade sabe quando cada turma vai encerrar a formação. Fora o fato de os alunos dela estarem ou não elegíveis para o ciclo avaliativo.

Apesar disso, você precisa acessar o portal do Enade e fazer sua inscrição nele. Isso é importante para confirmar se está tudo certo com a sua inclusão e informar seus dados pessoais e de contato.

Também é por meio dele que você responderá a um questionário que ajuda a identificar o perfil socioeconômico dos universitários. Nele vão estar perguntas, por exemplo, sobre renda familiar, raça, local de moradia e hábitos de estudo.

Como ficou claro, o Enade pode não ser tão difundido como outros exames que ocorrem no sistema educacional do país.

Porém, ele é de grande importância para que o Ministério da Educação acompanhe a qualidade da formação dos estudantes e, ao identificar sinais de baixa qualificação profissional, possa traçar ações nas instituições de ensino.

Portanto, caso aconteça de você realizá-lo no final da sua graduação, não fique nervoso! O conteúdo é justamente o que você viu nas aulas e a prova tem um formato simples. No mais, conte com a sua faculdade para tirar dúvidas que podem surgir, combinado?

Aproveite que falamos sobre graduação e acompanhe a gente nas redes sociais (Facebook, LinkedIn, Instagram, YouTube). Assim, você saberá mais sobre a seleção de cursos da FABAD!

Compartilhe com seus amigos
Pular para o conteúdo